sábado, 26 de março de 2011

Meryl Job, Criadora do Videdressing na França

Foto: Renaud e Meryl

Meryl Job, Americana, CEO da Videdressing SAS, formada em Ciências Políticas com mestrado em comunicação e marketing, casada com Renaud Guillerm é a entrevistada do Nosso Blog. Confira.

1) Você é americana, de pais indianos e vive em Paris com Renaud, seu companheiro francês. Isso faz de você uma campeã da diversidade, não?
Venho de uma família internacional, meus pais viajaram muito. Eu sempre tive em mim esse desejo de viajar, de descobrir novas culturas e de viver fora do meu país. Sou feliz por ter a oportunidade de viver e trabalhar em Paris, isso me deu a chance de conhecer melhor a cultura francesa, e em particular a moda francesa que eu adoro.
2) E agora o seu site chega ao Brasil. Fale-nos sobre isso...
Estamos super felizes de exportar o conceito Videdressing para o Brasil, país muito dinâmico sob todos os pontos de vista, econômico, financeiro, mas também humano e social. Os brasileiros adoram moda e além de procurarem pelas famosas grifes de luxo internacionais, eles tem sua própria indústria de moda que se desenvolve rapidamente o que permitiu o aparecimento de grandes marcas como Rosa Chá, Reinaldo Lourenço ou Triton, entre outras.
E mais particularmente, estamos muito felizes por colaborar com vocês. Vocês são profissionais da moda e da internet e nós confiamos em sua capacidade de lançar o site no mercado brasileiro.
3) Como você teve a idéia de criar o site Videdressing?
Foi quando eu trabalhava nos departamentos de marketing do setor de luxo (Chanel) e da cosmética (L´Occitane en Provence) que descobri com minhas colegas de trabalho as vendas privadas parisienses. Acabei comprando demais ao ponto de não ter mais lugar para guardar as coisas no meu armário. Eu procurava uma solução para revender as roupas e acessórios que eu não usava mais.Comecei procurando nos brechós físicos mas achei que cobravam uma comissão muito alta (50%), e ainda não pegavam tudo, dependia das marcas. Procurei na internet mas na época só tinha grandes sites C2C que vendiam de tudo um pouco, brinquedos, computadores, roupas. Esse tipo de site muito geral não me parecia adaptado para a revenda de artigos de moda que para mim precisava de um tratamento específico. Descobri então que faltava uma oferta adequada para responder a essa demanda e pensei que haveria milhares de mulheres na minha situação. Foi assim que eu criei a ferramenta Videdressing do jeito que eu queria.
4) Quando vocês começaram, há um ano atrás, você imaginava o sucesso internacional da sua idéia? Em breve o seu site está indo também para a Inglaterra.
Claro, sempre esperei que o site tivesse muito sucesso mas nunca teria imaginado que o Brasil fosse o primeiro país seduzido pela idéia e o primeiro a replicá-la. Estamos pensando sim em lançar o site na Inglaterra e em alguns países asiáticos.
5) Qual o resultado de 2010 e qual o volume de negócios esperado em 2011?
Terminamos o exercício de 2010 com 328 mil euros e esperamos fazer 3 milhões de euros em 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário